Arquivo da tag: p0rn

Mosca Branca do dia: MPT/100 microNOVA

Aí tou vendo as postagens no grupo Retrocomputing do fêissi e alguém posta este anúncio. Mais anos 70, impossível.


Eu diria que este anúncio é muito cringe, já que os anos 70 eram cringe.
Mas chamar as coisas de cringe é muito cringe, então não vou chamar de cringe.

Fiquei curioso, não sabia que a Data General tinha transformado o mini deles em microcomputador. Fui ler a respeito. Mais uma de muitas tentativas fracassadas de fabricantes de computadores de grande/médio porte se aventurarem nos primórdios da microinformática. O microprocessador se chamava mn602*, foi clonado por algumas empresas, incluindo a Fairchild, e… teve processinho envolvido. Esse pessoal realmente não sabe brincar.

Fuçando mais um pouco acho um site britânico dedicado à arquitetura NOVA e o camarada tem um MPT/100 original, inteiro! Só que ele não completou o Rise From Your Grave, tá parado há dois anos e meio. As fotos a seguir são só uma pequena amostra, na página do inglês tem um montão a mais e algumas informações históricas interessantes.
Continue lendo Mosca Branca do dia: MPT/100 microNOVA

Mosca Branca do dia: TIKI 100

E os canais retro só fazem se multiplicar. Com vocês, o Arctic Retro, diretamente do Círculo Polar pra nos mostrar que da Noruega vieram outras coisas nos anos 80 além disto. Especificamente, este computador baseado em Z80, rodando um clone de CP/M com mensagens em norueguês* e… um clone de Space Invaders.

(*) O idioma norueguês tem duas formas escritas oficiais, uma “culta” e outra “popular”. As mensagens desse SO são na forma “culta”, o Bokmål. A forma “popular” se chama Nynorsk. Você… (toc… toc… toc…) sabia? (toc… toc… toc…)

Sábados de calculadoras: Ken Shirriff viola a intimidade de uma Sharp QT-8D

A QT-8D da Sharp foi a primeira calculadora a usar circuitos integrados de alta densidade (MOS). Não tão alta, no entanto. A tecnologia da época ainda não permitia colocar uma calculadora inteira num chip, então as funções dela estavam distribuídas em cinco: um chip para a aritmética, um para o ponto decimal, um para o teclado e display de 8 (8? Sim, 8) segmentos, um de controle, e um de clock.

Ken Shirriff, aquele em cuja presença Todo Silício Será Desnudado, resolveu esmiuçar o chip de clock. Clique aqui para os detalhes sórdidos.

ARM: Como Era e Como É, por Ken Shirriff

(Traduzindo e reorganizando a sequência postada no Twitter por nosso parça, o Hugh Hefner do silício, comparando o tataravô e o sobrinho recém-nascido do chip desse espertofone em que você está lendo isto)

 *       *       *

Com o recente anúncio do processador M1 da Apple (N. do T.: link adicionado por nós) da família ARM, achei que seria interessante compará-lo com o primeiro processador ARM, criado pela Acorn Computers em 1985 para o BBC Micro. Os projetistas foram Sophie Wilson and Steve Furber.
Continue lendo ARM: Como Era e Como É, por Ken Shirriff