Arquivo da tag: opinião

Pesquisa de opinião.

Pessoal, a pedido do grupo MSXRio, estamos divulgando uma pesquisa de opinião que eles criaram, para saber o que o entusiasta de retrocomputação tem interesse. Pedimos que todos respondam para que assim seja possível saber o que atrai mais a atenção de todos.. O formulário está aqui: . Se puderem, repassem a todos que puderem. É importante saber o q se pensa a respeito. Obrigado!

Eu sou um Wirthista.

Numa omissão absolutamente imperdoável da nossa parte, deixamos passar em branco — no dia 15 de fevereiro — o aniversário de 80 anos de Niklaus Wirth, criador da linguagem Pascal e de muitas outras coisas importantes. Mas não é por isso (mesmo porque minha linguagem preferida não é Pascal, é C) que eu me declaro Wirthista. O motivo é outro.

Continue lendo Eu sou um Wirthista.

Outra opinião: O Golpe do Micro Doméstico

Este artigo é uma tradução de The 8-bit Home Computer Bait and Switch, publicado no blog Nerdly Pleasures e postado aqui com permissão do autor.

No início dos anos 80, consoles de videogame e micros domésticos competiam entre si pelo bolso do consumidor. Os micros, particularmente os da Commodore, eram propagandeados como algo que serve para muito mais do que jogos (coisa que eles também faziam direitinho). O papai poderia gerenciar as finanças domésticas, a mamãe poderia ter um banco de receitas, e as crianças poderiam aprender com programas educacionais e digitar os trabalhos do colégio em um processador de texto. Assim os computadores domésticos eram apresentados ao consumidor nas prateleiras das lojas. A princípio, os mais amigáveis em termos de preço e capacidades eram o Atari 400 e (com alguma boa vontade) o 800, os Commodores VIC-20 e 64, o TI-99/4A e o TRS-80 Color Computer. Os da Apple, muito caros, eram populares entre hobistas, educadores e pequenos empresários. Os da IBM (ainda mais caros) eram comprados quase que exclusivamente por usuários corporativos e empresas de desenvolvimento de software.

Continue lendo Outra opinião: O Golpe do Micro Doméstico

Konami x Konamito

A maioria dos MSXzeiros em atividade conhece o site do Konamito. Ele é um fã ardoroso do MSX, e em particular, da empresa dos moais, que nos deu Gradius, Snatcher e outras franquias menos conhecidas.

Pois então, eis que ontem ele posta no Twitter, Facebook e no próprio site essa imagem abaixo:

1521254_10151714385501916_709094463_nO Konamito recebeu um e-mail do setor de advocacia da Konami, com o seguinte conteúdo:

We understand that you are a big fan of Konami and Hudson Soft titles, however following titles belong to us, Konami Digital Entertainment Co., Ltd. and we do not give any permission to you for use, reproduction, or alternation, etc. of artwork and game data of our contents, products or titles, needless to mention to distribute or localize these contents, products or titles.

Your website clearly constitues copyright infringement and we therefore demand for removal immediately.

http://www.konamito.es/ficha/?id=2316

(…) [70 links depois]

http://www.konamito.es/ficha/?id=8

We need your confirmation via e-mail after all above is removed.

Regards,
Konami Legal

 

Ou seja, a Konami viu o site do Konamito e resolvou reclamar sobre o que lhe é de direito, depois de 25 anos (ou mais). Ela colocou uma lista de 70 links para páginas com informações sobre jogos da dita cuja.

Como nunca tinha entrado nessa seção do site do Konamito, fui investigar, pensando que encontraria ROMs para download. Até onde vi, só há imagens dos jogos e das caixas. Aliás, o site está meio estranho, com algumas dificuldades de acesso – tornou-se mais comum do que o esperado ver o jacaré (símbolo da empresa de hospedagem) aparecendo no lugar da página nova.

Algumas colocações minhas a respeito.

Continue lendo Konami x Konamito

O que esperar da retrocomputação em 2013? Com a palavra, os editores.

Antes de tudo, Um Feliz RetroAno de 2013 a todos vocês. Muitos micros clássicos, dinheiro no qbolso para comprá-los, tempo para brincar com eles, paciência para consertá-los… E ouvidos para ouvir o Retrocomputaria, e olhos para ler o R+. São esses os nossos votos.

O que esperar do ano de 2013, em termos retrocomputacionais? Bem, conversamos outro dia (em 2012) sobre o que falar no 1o dia do ano, e aqui vai a opinião dos 3 malucos que mantém o R+. Com a palavra, os editores (alerta, post grande!):

Continue lendo O que esperar da retrocomputação em 2013? Com a palavra, os editores.