Arquivo da tag: C64

THEC64® Mini

Versões mini de computadores e consoles clássicos estão muito na moda atualmente, e entraram no mainstream com o enorme sucesso da Nintendo com o NES/Famicom Classic Mini e o SNES Classic Mini. É óbvio que não ia demorar muito até surgir uma versão mini, digamos, do Commodore 64…

O TheC64 Mini tem promessa de lançamento para o ano que vem, e no post de lançamento anuncia o preço de £69.99/$69.99/€79.99, além de 64 jogos licenciados, saída HDMI e duas portas USB (vai ser só para teclados e joysticks?).

(via)

Implementando 80 colunas no C64

http://www.pagetable.com/docs/80columns/c64.png

Ao contrário dos computadores ditos “profissionais” os computadores chamados de “domésticos” eram (geralmente) desprovidos da capacidade de gerar 80 colunas de texto por hardware. Porém, não havia empecilho algum em resolver esta limitação recorrendo ao software!

E a biblioteca é vasta com implementações de modos texto de 64¹ ou 80 colunas para diversas plataformas como os editores Tasword Two (ZX-Spectrum) e The Last Editor (Atari 800/XE/XL) ou mesmo o projeto apresentado entre as edições 8 a 17 da revista CPU, o SCREEN IV (MSX).

E Michael Steil resolveu não só disponibilizar o código de um programa que implementa 80 colunas no Commodore 64 — até expandindo o CBM-BASIC para saber utilizá-lo — o 80COLUMNS. O autor original é desconhecido e o código fonte é fruto de um trabalho de engenharia reversa que contou algumas melhorias e, de quebra, a teoria de como é implementado.

(¹) Para quem só tinha 256 pontos horizontais, só dá pra fazer um milagre por vez. 🙂

 

Repórter Retro Nº 029

O Seu Repórter Retro

Bem-vindos a mais uma edição do Repórter Retro.

Ficha técnica:

  • Número do episódio: 29
  • Participantes: Ricardo, João, Cesar, Giovanni e Juan
  • Duração aproximada: 61 minutos
  • Músicas de fundo: Músicas sortidas
  • Download em ZIP

URLs do podcast:

Não se esqueça de deixar seu comentário aí embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

Ultimate-64 ou C64 Reloaded MK2?

De um lado, o Ultimate-64: uma reimplementação da placa-mãe do C64, usando FPGA e permitindo que o usuário insira sua SID. E, se houver demanda suficiente, podendo sair a até 200 euros.

Do outro lado, o C64 Reloaded MK2: uma nova placa-mãe do C64 para quem já tem todos os chips originais.

O pessoal do VITNO está com muita dúvida sobre qual comprar… acho que todo mundo que precisa de uma placa-mãe nova para seu C64 está com esta excelente dúvida.

Repórter Retro Nº 028

O Seu Repórter Retro

Bem-vindos a mais uma edição do Repórter Retro.

Mais uma vez, pedimos desculpas pelo atraso.

Ficha técnica:

  • Número do episódio: 28
  • Participantes: Ricardo, João, Cesar, Giovanni e Juan
  • Duração aproximada: 88 minutos
  • Músicas de fundo: Músicas sortidas
  • Download em ZIP

URLs do podcast:

Não se esqueça de deixar seu comentário aí­ embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

Mais um projeto de Commodore 64 em FPGA a caminho.

Esse é para você que ainda não chegou na RetroRio (afinal, o encontro é hoje e amanhã!), ou você que não poderá vir (boo). O Paul Gardner-Stephen tem mantido um blog descrevendo como está sendo o projeto encabeçado por ele sobre a confecção de um computador compatível com o C64/C65 em FPGA. Não por acaso esse é o nome do blog, e é interessante para todos os sonhadores que acham que “é fácil fazer” algo do tipo, “basta ter vontade”. Não, não é fácil, o buraco é mais embaixo (como diz meu pai).

O nome da máquina? Era C65gs. Agora é MEGA65. Parece que “C65” evoca o mesmo fetiche entre os fãs do Commodore 64 do que o termo “MSX 3” faz com os MSXzeiros… Mas o projeto parece bem interessante. Quanto ao currículo do autor, ele participou entre outras coisas, do projeto do LUnix, um sistema semelhante ao UNIX para Commodore 64. Que tal?

Fonte: Vintage Is The New Old.

Se você lê espanhol ou inglês…

… E gosta de Amiga, Sinclair, Commodore ou ambos, vão aí três dicas: