Episódio 116 – Interfaces Gráficas – Parte B

retrocomputaria_vitrine_570x190

Bem-vindos ao episódio 116 do Retrocomputaria, começando nossa décima segunda temporada! Uau!

Sobre o episódio

Pixels! Ponteiros! Janelas! Menus! Botões! Diálogos! O que são? Como vivem? De que se alimentam?

Nesta parte do episódio

A Microsoft começa a se mexer, mais processinho, o jeito UNIX de fazer GUI, outras arquiteturas e filosofagens finais.

Links do podcast

Música de fundo

Músicas em baixa resolução… acho.

Ouvindo este episódio offline

Baixe o ZIP, descompacte e ouça com seu tocador de música preferido.

Onde este episódio (e todo o Retrocomputaria) está disponível

Os episódios do podcast estão, como todo o conteúdo do Retrocomputaria, em muitos lugares: Spotify, YouTube, Google Podcasts, Apple Podcasts, Deezer e, usando nosso feed RSS, qualquer programa para escutar podcasts.

Seu comentário é o nosso salário

Não se esqueça de deixar seu comentário aí embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

Sobre Juan Castro

Juan Castro é uma das mentes em baixa resolução que cometem o Retrocomputaria – a única cujo Micro Formador não foi o MSX (e sim o TRS-80). Idealizador, arquiteto e voz do Repórter Retro. Com exceção do nome, que foi ideia do Cesar.

2 pensou em “Episódio 116 – Interfaces Gráficas – Parte B

  1. Bom dia, boa tarde e boa noite, aqui é o Diego do Podcast Opencast.

    Excelente episódio, o SX-Windows é meio parecido com o minecraft java (que jogo pesado) e me lembrou de muitos softwares que não conseguem aproveitar o hardware adequadamente.

    Uma sugestão, vocês podem aceitar cafezinhos em PIX, inclusive lendo as mensagens de quem doa garrafas térmicas desta bebida, talvez possa ser algo engraçado.

    E para finalizar, estou aguardando ansiosamente os episódios sobre UNIX e sobre Windows (a expectativa está alta).

    E tem mais uma coisinha, tenho uma uma Casio FX 850p, ao menos está escrito “personal computer” nela.

    1. “…e me lembrou de muitos softwares que não conseguem aproveitar o hardware adequadamente. ”
      Atualmente são os softwares e sistemas que exigem em demasia o hardware, em particular RAM. E os remendos, ditos como “atualizações”, vão inchando… Software a serviço da obsolescência programada.
      É assustador como o Firefox, mesmo o Chrome, consomem RAM! No passado essa exigência era só para edição de VÍDEO, vários canais de áudio e afins.

Os comentários estão fechados.