Há o Início e há o Fim. Vamos falar do Início.

Muitas e muitas vezes no podcast e no blog falamos do nosso ponto de corte. É o momento no tempo em que terminou a Computação Clássica e começou a Computação Moderna. É consenso que isso aconteceu no meio dos anos 90, quando as últimas plataformas que davam “biodiversidade” ao cenário da Computação saíram de cena. Por vezes citamos 29 de abril de 1994, dia da falência da Commodore. Mas acho que uma data melhor — mencionamos isso inclusive no último Repórter Retro — é 24 de agosto de 1995, data de lançamento do Windows 95. Por três motivos:

  1. Marca o início da era seguinte com a predominância do padrão PC (velho)
  2. É um número redondo (a importância dessa redondeza explicarei já já)
  3. Agosto é uma época apropriada para marcar o fim de uma coisa boa. 😢

Mas, como disse no título, este post não é sobre fins e sim sobre inícios. Quando a era da computação clássica começou?

Lançamento da Santíssima Trindade? Nãããão, bem antes. Altair 8800? Nananinanão. Antes. O primeiro microprocessador, de 1969? Ótimo chute, mas… não.

Exatamente 55 anos atrás, no dia 14 de outubro de 1965, foi lançada  no mercado dos EUA uma máquina vendida como calculadora de mesa, que podia armazenar e executar sequências de instruções e cálculos. Matéria do dia seguinte no jornal novaiorquino Daily News Record:

OLIVETTI LANÇA NOVAS DIMENSÕES EM COMPUTADORES

NOVA IORQUE — Um computador compacto e de preço econômico, que deverá inaugurar a era do processamento de dados para pequenos e médios negócios, foi lançado nesta quinta-feira.

O novo computador, chamado Programma 100 [sic], foi apresentado pela Olivetti Underwood Corp., marcando a entrada da empresa no mercado de processamento eletrônico de dados. Ele é descrito como preenchendo a lacuna entre grandes computadores convencionais e calculadoras de mesa.

“Lançado ao público”, diga-se, qualquer pessoa que pagasse o preço pedido podia comprar e levar pra casa, ou seja, “pessoal”. “Armazenar e executar sequências de instruções” significa que, por definição, o Olivetti Programma 101 era sim um computador. Portanto, um computador pessoal. O primeiro de todos.

Aqueles que nos acompanham há algum tempo lembrarão que ele já foi mencionado no Repórter Retro quando fez 50 anos.

Percebam que a Era Clássica da Computação durou quase exatos e redondos 30 anos. 1980, um ano cabalístico (VIC-20, Ian Curtis, greves no ABC, TRS-Color, Misha, Bonham, Reagan, Lennon etc…), foi exatamente o ponto médio.

E se você que nos lê nasceu depois de 14 de outubro de 1965, nem que seja só por alguns dias, saiba que — ao contrário deste humilde escriba — você já nasceu na Modernidade. Ninguém pode dizer que você é uma pessoa velha. Agora me dá licença que eu vou jogar damas na praça e ficar reclamando de como as coisas eram diferentes nos bons e velhos tempos. Harrumpf. Cadê minha bengala?

Sobre Juan Castro

Juan Castro é uma das mentes em baixa resolução que cometem o Retrocomputaria – a única cujo Micro Formador não foi o MSX (e sim o TRS-80). Idealizador, arquiteto e voz do Repórter Retro. Com exceção do nome, que foi ideia do Cesar.

9 pensou em “Há o Início e há o Fim. Vamos falar do Início.

  1. Fico revoltado quando o Juan insinua que é velho… isso porque temos aproximadamente a mesma idade.
    Velho é o seu PC, Juan! Nós somos clássicos…

    1. Boa! kkkkkkk
      Lembro muito bem de onde eu estava no dia do lançamento do Win95. Estava lá no Memorial da América Latina (SP) em um evento da Microsoft. Eu trabalhava nesta época na equipe de OS/2 da IBM. Fomos convidados. Lembro que deu uma bela tela azul rsrsrs.. mas mesmo assim, muitos saíram de lá impressionados com aquela interface.
      Eu concordo com a data de corte escolhida. De fato, nesta época os PCs estavam começando a dominar o mercado, marcando o fim da “diversidade” típica da era clássica.

  2. Não arbitraria data, nem penso em um fim. O dia virá em que cada uma de nossas pequenas contribuições soterrarão mesquinharia e desumanidade para enfim justificarmos o “homo sapiens”.

    De qualquer forma o Disco e Apresentação guardei pra bootar num retroprocessador quântico.

  3. No link acima há um comeentário de um gringo que eu concordo plenamente:”The Programma 101 is impressive, but it’s really just a programmable calculator, not a PC.”

  4. “A fun aside is that NASA bought at least 10 Programma 101s and used them for the calculations for the 1969 Apollo 11 moon landing.” Uau!

    1. Calcularam um voo para a Lua com um computador à carvão em pedra.
      E hoje tem gente que usa Samsung ou iPhone para dizer que a Terra “é plana” e que a bendita viagem é uma “invenção de Roliúde”

      1. Pois é. Já já dizer que a raiz quadrada de 2 é irracional, ou que existem mais números reais do que inteiros, é “sua opinião e você tem que respeitar a minha”.

        (Spoiler: pra uma das afirmações acima já teve idiota famoso negando. E mais não direi.)

Os comentários estão fechados.