QUOD INIT EXIT IIm

Lembram do QUOD INIT EXIT, o jogo do porquinho? Pois é, saiu continuação dele… O QUOD INIT EXIT IIm(sic) onde o simpático porquinho ganhou um mundo muito maior para comer tudo aquilo quiser, desviar dos inimigos e recolher todas as privadas que foram espalhadas nele. E o pessoal do Indie Retro News fez uma análise bem interessante do jogo.

1 pensou em “QUOD INIT EXIT IIm

  1. Cada vez mais tenho a certeza de que o C64 foi mesmo a melhor máquina de 8 bits já criada! (Embora minha preferida seja o ZX Spectrum!) Uma pena não ter sido comercializado por aqui, fico só imaginado como teria sido a produção nacional de software nos anos oitenta se o padrão adotado pelo mercado fosse o C64 ao invés do MSX! Acredito que, devido àos recursos superiores de áudio e vídeo, teríamos tido muito mais jogos nacionais dos gêneros de ação, aventura, plataforma e não apenas basicamente os (excelentes) adventures produzidos para o MSX. Por outro lado muito provavelmente o C64 não teria conseguido penetrar no segmento “profissional” como ocorreu com o padrão MSX, principalmete pela arquitetura fechada, praticamente inexpansível e, ao contrário do MSX, inviável para rodar aplicações CP/M; também não teria existido todo um cenário de pequenos fabricantes de hardware, provavelmente somente a própria Commodore. Resumindo: Mais e melhores jogos (nível de consoles), mas uma máquina que seria sinônimo de videogame e sem a mínima participação no segmento “profissional” e com muito pouca (quase nenhuma) produção de periféricos e hardware original.
    Por isto acho que, apesar de todas as conhecidas limitações, o padrão MSX foi o mais adequado para o nosso país naquela época; ainda que isso tenha significado (numa hipotética comparação com o C64) em uma produção nacional atrofiada (ou virtualmente inexistente) de vídeojogos (excetuando-se os adventures).

Os comentários estão fechados.