The National Museum of Computing. (Quase) Todo. Aqui. Agora.

Como alguns sabiam (mas a maioria não), eu e minha “senhora” viajamos até o Velho Continente no final do mês de julho de 2013, como parte de uma excursão. Estivemos em 5 países: Itália, Suíça, França, Inglaterra e Espanha. As impressões da Europa serão escritas no meu (quase morto) blog e as (muitas) fotos poderão ser vistas nesse álbum aqui.

Mas como eu ia à Terra da Rainha, eu não poderia deixar de visitar aquele que é o mais emblemático dos museus dedicados à computação no mundo: O TNMOC! E eu fui. A apresentação que vocês vêem abaixo é uma versão com correções da que foi apresentada durante a RetroRio, em 17 de agosto de 2013, e eu tratei de encher com muito texto para explicar tudo o que está lá. Não vou detalhar muito sobre o museu aqui, deixo para que vocês vejam:

Gostaram? E isso não é tudo. Sim, eu e a madame fizemos vários vídeos, e dentro em breve teremos um vídeo compilando todos os vídeos da visita ao TNMOC, publicados no nosso canal no VocêTubo. Quando? Eu ainda não sei, mas será logo.

Ah, eu deixei liberado para download. Se quiser baixar, são 10 Mb e 107 slides.

Sobre Ricardo Pinheiro

Ricardo Jurczyk Pinheiro é uma das mentes em baixa resolução que cometem o Retrocomputaria. Editor do podcast, rabiscador não profissional e usuário apaixonado, fiel e monogâmico do mais mágico dos microcomputadores, o Eme Esse Xis.

3 pensou em “The National Museum of Computing. (Quase) Todo. Aqui. Agora.

    1. Eu fui nesse museu em 2014. Louvre pra quê, não gosto de arte mesmo… Fui nele (ótimo) e no Science Museum, em Londres (pena que cheguei tarde).

Os comentários estão fechados.