Arquivo da tag: Karateka

Episódio 71 – Jogos Novos – Parte B #forasalamander #chupaknightmare

retrocomputaria_vitrine_570x190

Sobre o episódio

Jogar o mesmo jogo por 20 e tantos anos seguidos não rola, né? Então resolvemos ajudar a vocês, e a nós mesmos, falando de jogos novos para micros clássicos.

Nesta parte do episódio

Falamos de jogos novos para MSX, Amiga e de alguns “estrangeiros” (Amstrad CPC, C64, Atari8 bits e ST)

Ficha técnica:

  • Número do episódio: 71
  • Participantes: Ricardo, João, Cesar, Giovanni e Juan
  • Duração aproximada: 58 minutos
  • Músicas de fundo: Músicas de jogos novos
  • Download em ZIP

URLs do podcast:

Não se esqueça de deixar seu comentário aí embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

Vaquinha para o Deathbounce: concluída

Em sua palestra na PAX East em 06 de abril, Jordan Mechner resolveu contar que apesar de Karateka ter lançado sua carreira, sua primeira criação, e também grande esperança, foi um jogo para Apple II escrito enquanto ele ainda era um calouro na faculdade e chamado Deathbounce. Que foi recusado por Doug Carlston na Broderbund. E logo em seguida, aconteceu todo um movimento de pessoas pedindo uma versão do jogo para iOS, querendo ajudar no custeio do desenvolvimento tal qual como o Wasteland 2.

Continue lendo Vaquinha para o Deathbounce: concluída

Veja os disquetes do Prince of Persia

E Jason Scott* disponibilizou o ensaio fotográfico que ele ele produziu utilizando aqueles tais disquetes achados na bagunça pelo pai do Jordan Mechner. Uma excelente oportunidade para ver como era feito, ou não, o controle de versão entre os desenvolvedores no final da década de 1980.

(*) Jason Scott? Sim! Ele foi convocado por Jordan Mechner para tornar acessível o conteúdo dos disquetes! Por que? Jason Scott trabalha na Internet Archive!

E quando John Romero era adolescente…

…ele escreveu para Jordan Mechner uma carta totalmente fanboy para cumprimentá-lo sobre o Karateka e outras coisas. A carta original está obviamente em inglês mas tanto pelo aspecto histórico como também como comemoração ao anúncio do próprio Mechner sobre a nova versão do seu primeiro jogo, tivemos o trabalho de traduzi-la (claro, se alguma coisa estiver errada, avise que nós ajeitamos). Divirtam-se!

Continue lendo E quando John Romero era adolescente…