Arquivo da tag: IBM

Um disquete de 118 Gb.

disquete-grande

Tudo começa com um post do DrModdnstine no Imgur, falando de um mod simpático que ele fez, que foi montar um Core i7 dentro de um gabinete de um IBM Aptiva. Até aí, legal, eu tenho um AMD Phenom II montado dentro de um gabinete de um Dell Optiplex que eu não lembro qual é.

Mas o interessante mesmo foi o que ele fez com o drive de disquetes. Quer saber? Clica lá e vai ver, vale a pena.

Sábados de calculadoras… em um disquete de 3,5″

A volta dos Sábados de Calculadoras é com uma calculadora que… er… assim… não tem nada de especial. Uma calculadora básica, solar, tão típica das calculadoras baratas dos anos 90 (e anos 2000).

O que a torna interessante? É do tamanho e formato de um disquete de 3,5″. E foi distribuída pela IBM aos seus clientes, pelo menos nos EUA.

SPOILER: Sim, tem uma tentativa de usar a calculadora como disquete.

OS/2 FOOTBALL

OS2_football

Não, ao contrário do que possa parecer, ele não é um jogo de futebol, rugby ou mesmo soccer para o sistema operacional da IBM. Este sujeito data de algum ponto entre o final de 1986 e o começo de 1987 e foi um fork (pra usar um termo atual) da versão 2.x do OS/2 dando suporte a recursos específicos dos processadores 386 como o V86 MODE — lembrando que nesta época o OS/2 era específico para processadores 286 e que o suporte a 32-bit só veio aparecer oficialmente lá pela primeira metade da década de 1990 com a versão 3.x.

Continue lendo OS/2 FOOTBALL

Repórter Retro Nº 007

O Seu Repórter Retro

Bem-vindos a mais uma edição do Repórter Retro.

Ficha técnica:
sinclair_spectrum-007-action-pack1

URLs do podcast:

Não se esqueça de deixar seu comentário aí embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

Benj Edwards e um mundo alternativo onde a IBM usou 68000

Sim, esse mundo existiu.

ibm_instruments_computer_system

É o IBM Instruments Computer System, ou IBM System 9000: Motorola 68000, até 5MB de RAM, suporte ao VersaBus (o obscuro bus que a Motorola tentou, e não conseguiu, emplacar no 68K), três RS-232, IEEE-488, impressora embutida e esse jeito de que deveria se sentir em casa em uma baia de algum engenheiro industrial. Não era da IBM, mas sim de uma subsidiária chamada IBM Instruments.

E, dos comentários do VC&G, pinçamos a história oral do computador.

Se os teclados Model M fazem seu coração bater mais forte…

wasdkeyboardsEntão conheça o trabalho do pessoal da WASDKeyboards. Segundo eles mesmos, “inspirados pela comunidade de entusiastas de teclados mecânicos, desenvolvemos um processo capaz de criar teclados mecânicos realmente customizáveis, sem a necessidade de se produzir em grandes quantidades”.

Ou seja, compre seu Model M moderno (ou seja um velho ranheta e diga que “no meu tempo era melhor“), adquira as capinhas de teclas que você deseja, e monte seu teclado da maneira que você quiser. Se você preferir, dê uma olhada na galeria de imagens, para ver algumas opções mais criativas.

Porque todo detalhe tem uma história

Quando o manu parça Sergio Vladisauskis bateu o olho na foto de placas gráficas padrão PC que publicamos faz alguns dias, ele mencionou que nunca soube para que serviam esses “terminais superiores” na VGA, e que ele tinha uma com o mesmo conector intrigante. Confesso que eu sabia tanto quanto ele.

VGA-WTF Continue lendo Porque todo detalhe tem uma história

Imagem do dia: Padlões de Praca Gláfica

Nos IBM PC e clones, da época em que eram Clássicos e não Velhos (lembrando sempre que Velho é o seu PC). Da esquerda para a direita e de cima para baixo: CGA, MDA, Hercules, EGA (com expansão de memória) e VGA. Tudo da IBM, menos a intrometida da Hercules que virou padrão de fato sem pedir licença, assim mesmo, na maior grosseria. Clique para ampliar.
Continue lendo Imagem do dia: Padlões de Praca Gláfica

SMS nos anos 60

Não, não tem nada a ver com enviar mensagens de texto. Ken Shirriff, o Sherlock Holmes do silício, agora resolveu explorar mainframes IBM de mil novecentos e vovô garoto. E neste post no blog dele, explica que SMS quer dizer Standard Module System. São os componentes básicos dos computadores da Big Blue, e consistem em placas de circuito impresso do tamanho de cartas de baralho, cada uma responsável por uma função (portas lógicas, reguladores de tensão, memórias, controle de periféricos etc etc etc), inseridas num barramento comum.
Continue lendo SMS nos anos 60