Spacewar! (1962) — O Melhor Desperdício de Tempo da História do Universo (Parte 1 de 4)

(Este post é uma tradução de um dos capítulos-bônus online do livro Vintage Games, publicado com permissão do autor. Original em inglês aqui.)

Se você tem algum interesse, por menor que seja, na história dos videogames — o que, suponho, se aplica a todos os leitores deste site — certamente já se perguntou como era o primeiro videogame. Afinal, qual foi o primeiro videogame a dar o ar da sua graça numa tela?

Há muito tempo essa pergunta incomoda aqueles de nós que se propõem a escrever, com fidelidade no mínimo razoável, a história desse meio. Muitos jogadores (e até alguns escritores) pensam que essa honra pertence a Pong, que apresentou o conceito de videogames às massas nos anos 70.

Mas Pong não foi sequer o primeiro videogame comercial em fliperamas: antes dele veio Computer Space, desenvolvido por Nolan Bushnell e Ted Dabney para a Nutting Associates em 1971 [1] e que foi um desastre comercial. Como veremos, Computer Space foi ele próprio baseado num videogame muito anterior chamado Spacewar!, que foi apresentado em forma jogável em fevereiro de 1962. Mesmo Spacewar! teve antecessores: dois jogos mencionados com frequência são OXO, de 1952, e Tennis for Two, de 1958.

Spacewar-01Código original de Spacewar! rodando em um emulador de PDP-1 em um navegador Web. Esta é a posição inicial dos jogadores.

A resposta resumida para a pergunta “quem veio primeiro” é “não sabemos… ainda.” O problema é que só conhecemos os jogos que tiveram sucesso suficiente para serem lembrados por quem os criou ou jogou, e pelo menos algumas dessas pessoas devem estar dispostas a contar suas histórias (com alguma evidência corroborativa). Quem sabe quantos jogos pioneiros foram simplesmente esquecidos?

Os exemplos citados já refutam a afirmação de que Spacewar! foi o primeiro, e é bem possível que, à medida que mais e mais pessoas se interessam pelo assunto, desenterraremos jogos ainda mais antigos e obscuros. Para resumir, não há época melhor do que esta para ser um historiador dos videogames.

Spacewar!, mesmo não tendo sido o primeiro, foi com certeza um dos primeiros que fizeram diferença. Foi Spacewar! que estabeleceu muitas das convenções que nos seguem até os dias de hoje. Sua influência nos desenvolvedores que vieram depois — inclusive os não tão bem sucedidos — foi palpável.

Apesar do fracasso de Computer Space, a Atari teve um sucesso estrondoso posteriormente com Asteroids (1979), que oferecia conceitos de jogo similares em um formato mais amigável ao usuário. Também é fácil ver as influências de Spacewar! em outros videogames populares da época, como Lunar Lander (1979) e Gravitar (1982), ambos da Atari. E, com um pouquinho de boa vontade, até mesmo simulações de pinball em videogames.

Spacewar! introduziu a ação em tempo real, um arsenal de armas, movimentos especiais, condições de jogo variáveis, física, e um mundo virtual. Ele demonstrou que computadores eram muito mais que calculadoras caras: eram (pelo menos para muitos de nós) o futuro do entretenimento.

Já que os primórdios da história dos computadores e o desenvolvimento de Spacewar! foram descritos no capítulo do Pong, vamos fazer um rápido resumo antes de entrar nos detalhes do jogo em si. A história da criação de Spacewar! foi contada muitas vezes, e com certeza temos que mencionar o livro Hackers: Heroes of the Computer Revolution de Stephen Levy para uma visão aprofundada não só do desenvolvimento do jogo mas da subcultura única que tornou tudo isso possível.

Para deixar as coisas claras: os criadores de Spacewar! eram os nerds que filmes como A Vingança dos Nerds (1984) retrataram com tanto humor — perenemente fascinados por ficção científica, robôs, engenhocas eletrônicas e, claro, computadores.

Spacewar-02Uma batalha em andamento.

[1] De acordo com alguns, Computer Space não foi o primeiro videogame operado a moedas/fichas; a honra caberia a Galaxy Game, de Bill Pitt e Hugh Tuck, mais um inspirado em Spacewar! e lançado alguns meses antes de Computer Space. No entanto, Galaxy Game não foi produzido em massa, principalmente pelo fato de que ele rodava num PDP-11/20 da Digital — uma unidade custava 20.000 dólares!

Parte 2 ⇒

Deixe uma resposta