Umas fotos dos Steves no Apple II Forever

O San Francisco Chronicle, junto com o San Jose Mercury News, circula na região do Vale do Silício; portanto, próximo de toda a indústria que se formou na região.

Por isso, volta e meia alguém descobre coisas como… fotos do lançamento do Apple II Forever que estavam esquecidas nos arquivos do Chronicle.

(Peter Hartlaub no Twitter)

Episódio 75 – O office antes do Office: Bancos de Dados – Parte A

retrocomputaria_vitrine_570x190

Sobre o episódio

Micros clássicos não são apenas jogos, mas também trabalho duro. Por isso fizemos a série O office antes do Office.

Para fechar nossa série, trataremos os bancos de dados, componentes essenciais de qualquer workflow corporativo.

Nesta parte do episódio

Começamos falando de moedores de carnes, quer dizer, de mainframes, para falar dos “pré-bancos de dados”. Depois falamos de COBOL, modelos navigacionais, árvores binárias, hierárquicas e finalmente dos relacionais.

Finalmente chegamos a épocas mais familiares e falamos da era do dBASE, das origens no IMSAI 8080 à dominação no mundo do CP/M (dBASE II) e no mundo do MS/PC-DOS (dBASE III) até o desastre dBASE IV e a venda da Ashton-Tate à Borland.

Também falamos de um legado do dBASE, o padrão xBase e, entre eles, o Clipper, velho conhecido de todo mundo que trabalhou com informatização de pequenas e médias empresas dos anos 80 e 90. Entramos na treta entre Ashton-Tate e Fox Software por causa do “padrão xBase”. E citamos Oracle Database porque né

Ficha técnica:

URLs do podcast:

Não se esqueça de deixar seu comentário aí embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

RetroRio 2017

Pessoal, agora é oficial. A RetroRio 2017 está chegando, e estamos iniciando a divulgação desse que  é o encontro carioca de usuários e entusiastas de microcomputadores clássicos.

Esse ano, a RetroRio será realizado no Centro Municipal de Artes Calouste Gulbenkian, na rua Benedito Hipólito, 125 – Praça Onze – Rio de Janeiro.  Ela ocorrerá nos dias 16 e 17 de junho (sexta e sábado), das 10 horas até as 18 horas. E desde já, nosso muito obrigado à Secretaria Municipal de Cultura da cidade do Rio de Janeiro pelo apoio, e à direção do Centro Municipal de Artes pela cessão do espaço.

Maiores informações na nossa página especial sobre o evento, em http://www.retrocomputaria.com.br/retro-rio-2017/ . Pedimos que vocês nos ajudem na divulgação, propagando aos quatro cantos da Internet: Em redes sociais, listas de discussão, grupos de WhatsApp (inclusive os da família), fóruns, enfim, tudo que for possível falar e anunciar. Nós queremos fazer da RetroRio o maior encontro retrocomputacional que já houve nessa Cidade Maravilhosa. Lembre-se que a RetroRio é aberta a todas as plataformas retrocomputacionais. E contamos com a presença de vocês, cariocas, fluminenses, brasileiros e estrangeiros. Aproveite o feriado e venha curtir o encontro, a entrada é franca, e todos são convidados.

Nos vemos na RetroRio!

As cores secretas do Commodore 64

Sabe aquelas cores impossíveis, que não existem nas paletas dos nossos micros clássicos? Aquelas paletas que você olha o jogo e pensa “caramba, como o cara conseguiu fazer isso nesse micro?”

Aaron Bell, apaixonado pelo Commodore 64 e pelo efeito desde que jogou Dragon Breed, foi lá, pesquisou, testou, documentou como se faz, e ainda exemplificou com exemplos interativos. (visite a página com JavaScript ligado.)