Vitórias

Uma das nossas vitórias foi ser considerado um podcast “veterano”. O nosso compromisso com nossos ouvintes nos fez sermos considerados veteranos, num meio tão volátil quanto a podosfera. Muitos podcasts começam com os ouvintes que dizem: “Eu posso fazer melhor do que esse podcaster de meia-tigela” e iniciam num “bate-papo nerd entre amigos”. A maioria não dura mais do que alguns episódios. Nós temos, por ocasião da redação desse texto, seis anos ininterruptos de material publicado, num total de 288 horas de áudio. Dá para ouvir a gente ininterruptamente por 12 dias, sem parar!

Outra vitória foi ser reconhecido pela parte mais conhecida da podosfera como um podcast sério e de qualidade. É recompensador ouvir elogios de podcasters mais conhecidos do que nós, de que eles tem ouvido nosso podcast, que gostam e comentam, mesmo que pessoalmente, numa conversa em algum evento de mídias sociais.

Mais uma vitória foi o convite para gravar no Cubo Geek da Campus Party 2012. Apenas 10 podcasts foram selecionados para gravar no estúdio montado pela Vivo, e nós estávamos entre os escolhidos. Quase conseguimos que o professor Pierluigi Piazzi (falecido em março de 2015) gravasse conosco, mas não foi possível. Mas o vídeo está disponível na Internet, só procurar.

Mas creio que a nossa maior vitória são os nossos ouvintes, que vem, ouvem e continuam nos ouvindo, comentando, opinando… É muito bom conhecer ouvintes que hoje são nossos amigos, e que voltaram para a retrocomputação depois de terem ouvido nosso podcast! Muito bacana saber de gente que resolveu se envolver com computação clássica depois de ouvir um episódio nosso. Como um professor que disse ao Ricardo: “Vocês estão querendo me viciar nesse negócio!” Resistir é inútil, você será assimilado.