O futuro?

Bem, além da dominação mundial, da conquista de Vladivostok no tabuleiro de War e de uma conexão mais rápida e barata, pretendemos aprofundar parcerias com outros podcasts. Já temos uma relação estabelecida com o NGCast e a Kombo Podcasts, visto que o Ricardo é membro da equipe do Fala Séries. Queremos trazer outros podcasters para participar conosco, e gostaríamos muito de estar presentes em outros podcasts por aí. Afinal das contas, conseguimos falar de outros assuntos que não são somente micros clássicos. Sim, parece improvável, mas é verdade.

Também é nosso desejo aumentar nossa audiência. Sabemos que temos um público fiel e de muita qualidade, mas lidamos com um nicho: Para cada um que ouve o podcast e se encanta com admirável mundo novo da Retrocomputação, existem vários que ignoram solenemente. Logo, desejamos muito que outros conheçam o Retrocomputaria, que passem a ouvir o nosso trabalho e colaborem, comentando, sugerindo pautas, dando opiniões – mesmo que divergentes da nossa, e com isso aumentemos nossa relevância e presença na Internet.

Desejamos que o podcast também gere retorno financeiro. Nunca foi nossa intenção de que rendesse dinheiro. Nosso objetivo desde o início foi falar de algo que nos fosse muito querido, que são os micros clássicos. O lucro é secundário. Mas manter um site, com podcasts no ar tem custos, e estamos buscando parcerias, anúncios e patrocínios, além de oferecer serviços relacionados. Nosso desejo é que o Retrocomputaria, na forma atual, possa render lucro, de forma que ele se pague e ainda possamos auferir algo. Para isso, questões como media kit, contatos com agências de publicidade e o famoso networking fazem-se necessários. Pretendemos ter uma presença mais efetiva em eventos relacionados às mídias sociais, e estamos nos movimentando para isto.

Quanto às pautas, nosso compromisso com nossos ouvintes continua: De fazer um podcast de qualidade, de conteúdo relevante e áudio bem trabalhado. E de ter material publicado toda semana. Temos pautas em diferentes estágios de preparação para os próximos anos, contatos feitos e muita vontade de gravar e de escrever. E assim iremos, até quando pudermos.