Todos os posts de Ricardo Pinheiro

Jogos novos para MSX!

MMO para Commodore em campanha para voltar à vida.

MMOs não são exatamente novidades, como podemos ver. Em 1986, a LucasFilm (sim, ela mesmo, a do Istá Uár) fez esse jogo, Habitat, para ser jogado em rede no Quantum Link, o serviço online que era acessível via Commodore 64 e que depois deu origem ao America Online. Aliás, o Habitat teve versões para C64, Mac OS, Windows e FM-Towns.

Então, em 2016 o projeto de retomar o jogo foi encabeçado por Alex Handy, fundador do Museum of Art and Digital Entertainment. Em julho de 2016, o código fonte foi liberado segundo a licença MIT (código aberto), e colocado no Github. Em fevereiro de 2017, um dos autores (Randy Farmer) iniciou um projeto para dar continuidade ao desenvolvimento do Habitat (agora chamado NeoHabitat). Eles estão na fase de busca de colaboradores, e já tem um servidor disponível no Quantum Link Reloaded.

Alguém se aventura a portar o cliente para outras plataformas? Seria interessante ver um MMO como esse rodando em outras máquinas retro. Caso a se pensar.

Coleção de softwares pouco conhecidos para Commodore PET.

Falamos nesse mês da trindade de 77, e começamos com o Apple II. Ainda temos o TRS-80 e o Commodore PET a serem falados num futuro breve. Pois então, enquanto nós vimos o PET como parte da decoração do apartamento do Almirante James T. Kirk, em Jornada nas Estrelas II: A Ira de Khan, o Commodore Spain passou-nos uma lista grande de softwares para essa curiosa máquina. Seguem a parte 1 e parte 2. São 12 disquetes cheios. Dá para se divertir com o seu PET… Ou o seu emulador.

Placas de diagnóstico para Commodore PET e MSX.

Placas de diagnóstico são apetrechos interessantes para quem precisa dar manutenção em um computador, seja clássico ou não. Nos PC, existem as placas POST, que ajudam muito a identificar o que está acontecendo no hardware.

Mas o nosso papo é micros clássicos, então o Commodore PET, que não tem um slot para cartuchos, ganhou uma placa de diagnóstico onde você remove o 6502 e coloca ela no lugar. Interessante, não? O projeto é do pessoal da Tynemouth Software (ingleses), e por 50 moedas da Rainha pode ser sua.

Em notícias levemente relacionadas, está rolando uma discussão no fórum do MSX Resource Center a respeito de software para diagnóstico, para vir em cartucho. O máximo que temos é um cartucho com um programa para testar a memória (de autoria do Adriano Cunha). Pode ser que saia algo interessante aí, vamos ficar atentos.

PicoFox, para o Pico-8.

Você já ouviu falar do Pico-8? Eu também não, aí fui pesquisar, e achei algumas coisas interessantes… O PICO-8 é um videogame virtual. Sim, ele não existe fisicamente, só na Internet. Joseph “Zep” White o criou para estabelecer limites para os atuais desenvolvedores de jogos. Dizem que com crise se cresce. Bem, com restrições, a criatividade floresce. Todos nós que jogamos desde antes dessa geração leite com pera e creme de cacau com avelã resolveu nascer, sabemos que essa é uma afirmação válida.

Pois então, o PICO-8 é um desafio aos programadores atuais. Ele tem resolução máxima de 128 x 128 pixels, 4 canais de som, e limite de 32 Kb por “jogo”. Você pode programar ele em Lua e precisa pagar US$ 15 para poder programar para o PICO-8.

Interessante, não? Pois é, a última (ou penúltima) é que portaram o Star Fox (SNES) pro Pico-8, chamando-o de PicoFox.

Continue lendo PicoFox, para o Pico-8.

Jogos velhos e novos para MSX.

Software do Club Mesxes para download.

MSXzeiros devem lembrar do Club Mesxes, um grupo espanhol de usuários MSX que residiam nas Ilhas Baleares, e produziam um fanzine (SD-MESXES) e software. Pois então, o site dele está online, e agora temos, além da DISK I/O ERROR #1 (fanzine e demo criado poreles) e do Nextor (sim, Nestor Soriano era parte da turma), tem também a trilha sonora do jogo LemoN, um RPG cyberpunk deles que não foi finalizado. Ah, o promo está lá também. Divirtam-se!

O primo desconhecido do Mortadelo e Salaminho no Spectrum.

Você já leu as histórias de Mortadelo e Salaminho? Se não leu, pára, clica nesse link aqui e vai ler sobre os personagens, criação máxima de Francisco Ibañez. Eu, em particular, fiquei fã ao ler as tirinhas de jornal, quando criança… Meu pai lia e se dobrava de rir. E convenhamos é muito bom, fizeram inclusive jogos para ZX-Spectrum da dupla de espiões (e foi portado para MSX, pela Animagic).

Mas o personagem favorito de Ibañez é outro personagem, o Rompetechos (hein?), esse sujeito aí de cima. É um personagem tão obscuro para nós, não espanhóis, que ainda é espantoso saber que ele tem um jogo. Sim, tem. E para Spectrum. Esse foi um trabalho de arqueologia, que pode ser entendido melhor indo ler o post no El Mundo Del Spectrum e no ProgramBytes48K.

Código Morse, Commodore 64…

O site Commodore Spain fez uma matéria interessante sobre usar um Commodore 64 para transmitir e decodificar mensagens em código Morse, um dos primeiros sistemas de codificação usados para transmissão de mensagens.
Só que eles não falam de um projeto fazido por eu pra lidar com código Morse, mas sim equipamentos que eram vendidos para fazer a codificação/decodificação. E acreditem, fizeram dois equipamentos.

Vale a leitura.