Episódio 79 – Minicomputadores – Parte A

retrocomputaria_vitrine_570x190

Sobre o episódio

Um episódio em que subiremos um pouco, mas só um pouco, no tamanho dos computadores, já que falaremos de minicomputadores.

Nesta parte do episódio

Iniciamos com aquela retrospectiva clássica de todo curso de Introdução à Computação.

Daí passamos por piadas com 74LS, contamos o que era definido como microcomputador, passamos pela gênese da Digital Electronics Corporation e nos concentramos em quatro linhas de minicomputadores da empresa: PDP-1, PDP-8 e os mais conhecidos PDP-11 e VAX. E, claro, falamos de DEC, temos que falar de Data General, e ao falar de DG falamos do Nova.

Ficha técnica:

  • Número do episódio: 79
  • Participantes: Ricardo, João, Cesar, Giovanni e Juan
  • Duração aproximada: 49 minutos
  • Músicas de fundo: Músicas de CD
  • Download em ZIP

URLs do podcast:

Não se esqueça de deixar seu comentário aí embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

3 comentários sobre “Episódio 79 – Minicomputadores – Parte A

  1. Muito bom episódio. Interessante essa confusão de Assembler/Assembly, eu lembro que o meu professor teve que pedir para mudar o nome da matéria na faculdade… acho que esse é mais um dos termos que ficaremos eternamente corrigindo, algo como hacker/cracker.

  2. Ótimo episódio, bom para apresentar para a molecada que está se ingressando agora no mundo da informática.

    Fita DAT também é usado para gravar musica sim! No japão tem vários equipamentos da Pionner de som com gravação de áudio em DAT.

    https://www.fein-hifi.de/images/product_images/original_images/d500_35.jpg

    Aqui em SP, o sucatão de microcomputadores era a Santa Efigênia. Infelizmente não tem mais nada lá, foi tudo moído na marreta! Reciclagem…

  3. Muito bom! Afinal, a retrocomputação não pode viver só da saudade da infância, certo?

    Os minicomputadores deram origem à computação embarcada (ou “embebida” segundo os portugueses).

    E a reserva de mercado foi criada especificamente para proteger um minicomputador (o futuro Cobra 530) de outro (o System/32 da IBM). No Brasil os minis de 32 bits como o VAX era considerados “super minis” e teve muita discussão se a reserva incluiria eles ou não.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *