Repórter Retro Nº 020

O Seu Repórter Retro

Bem-vindos a mais uma edição do Repórter Retro.

Ficha técnica:

  • Número do episódio: 20
  • Participantes: Ricardo, João, Cesar, Giovanni e Juan
  • Duração aproximada: 70 minutos
  • Músicas de fundo: Músicas sortidas
  • Download em ZIP

URLs do podcast:

Não se esqueça de deixar seu comentário aí embaixo; afinal, seu comentário é o nosso salário. No entanto, caso você prefira, entre diretamente em contato conosco.

8 comentários sobre “Repórter Retro Nº 020

      1. Passei várias madrugadas jogando Elite. Na época eu tinha uma mesa branca de fórmica lisa que era toda rabiscada a lápis com os preços das mercadorias.
        Mas eu só consegui jogar depois que fiz engenharia reversa no arquivo de save gravado no cassete e descobri onde e como o dinheiro era armazenado: um inteiro com ponto fixo (1000 equivaliam a 100,0 créditos). Daí começava o jogo com os créditos iniciais acrescidos da quantia exata para comprar o Docking Computer. Se não me falha a memória….

        – Capital Inicial: 100 créditos espaciais
        – Docking computer: 3000 créditos espaciais
        – Jogar Elite usando fita cassete: Não tem preço!!!

        PS: posteriormente joguei SpaceTrader[1] no Palm (que as malditas pilhas duracell assasinaram). Cheguei a comprar um Palm usado só pra jogar Space Trader, mas hoje é possível jogar no Android exatamente o mesmo jogo do Palm [2]
        [1]http://www.spronck.net/spacetrader/STFrames.html
        [2] http://spacetrader.brucelet.com/

        1. Droga, Danjovic, agora vou instalar Space Trader no meu celular! :-O

          Eu virei ele no Palm duas vezes. Em uma delas, em 15 meses (em tempo de jogo).

  1. Achei que vocês iam começar o episódio com alguma piada cretina do tipo “Cheguei aqui para 20V” ou “Trouxe bolo para 20 comer”. Aliás “20V” era o nome de um bar perto da escola onde eu fiz o 2º Grau (bar este que fica no mesmo quarteirão da lanchonete “São Dubas”. Que fico pensando se é do mesmo dono, dada a semelhança no “bom gosto” para a escolha dos nomes).

    Quanto ao bolo do Apple II GS, as velas parecem mais com eppendorfs (http://static.coleparmer.com/large_images/02560SE02.jpg) de ponta-cabeça.
    E antes que alguém questione: Sim, existem muitos usos para o eppendorf, além do seu uso pelo tráfico para distribuir cocaína. Nas áreas de pesquisa de Bioquímica e Biologia Molecular, em especial, eppendorfs são quase onipresentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *